Você Sabe Calcular o Preço de Venda do seu Produto?

Você Sabe Calcular o Preço de Venda do seu Produto?

Com certeza todo empreendedor começa seu negócio fazendo contas, muita e muitas contas (só quem vive isso sabe como é difícil…), porém, um grande problema é quando essas contas nem sempre são feitas de forma correta. Por exemplo, você sabe calcular o preço de venda do seu produto, corretamente?

Pode parecer uma pergunta besta, mas esse cálculo errado é muito comum de ser feito, pois muitas vezes simplificamos demais a conta e os detalhes um dia irão se somar e não serão mais apenas detalhes.

Vimos em outro artigo as diferenças entre custos fixo e variáveis, se você não viu leia aqui pois será importante para realizar o seu cálculo, afinal muitos empreendedores calculam o seu preço de venda em cima apenas das despesas e do lucro.

Por exemplo: Meu custo para produção do meu produto é de R$ 10,00 e quero um lucro de R$ 4,00 por venda, então é só vender a R$ 14,00, fácil fácil.

E o que tem de errado com isso? Na realidade, errado não está, o problema pode estar em como você calculou os R$ 10,00 de custo, será que esse valor é correto?

Custo e Rateio

Quando falamos de fabricação ou venda de produtos físicos é mais fácil encontrar os custos, devemos levantar os valores de matéria prima, mão de obra ou aquisição do produto.

Quando falamos de serviços, devemos também levar em consideração a mão de obra, porém aqui podemos entrar no campo do valor intelectual, talvez um valor intelectual seja um custo mais alto, porém gera um produtividade maior (mas isso fica para outro dia).

Mas o maior ponto aqui é chegarmos nos custos diretos do produto/serviço, para depois disso entramos na área do Rateio, sabe o que é isso?

Ratear despesas é dividir todos e qualquer despesas, seja diretamente ligada a produção ou não, para cada unidade produzida.

Vamos supor que sua loja de roupas venda 1000 unidades por mês, e o seu aluguel seja exatamente R$ 1000,00, nesse caso além do custo por aquisição de cada roupa, você deve também embutir R$ 1,00 a mais nesse custo.

E assim devemos fazer com todos os custos fixos, rateando por produtos ou serviços ofertados, o que talvez faça aquela cena inicial mudar um pouco.

Mas você pode se perguntar: Para que fazer isso?

Ter o seu custo rateado e preciso é importante para se posicionar no mercado, conhecer sua empresa e mante-la saudável.

Vamos a um exemplo simples: Sua loja vende os produtos a R$ 14,00 (seu custo e seu lucro estão garantidos), porém seu concorrente vende o mesmo produto a R$ 12,00, o que pode te tirar vendas, mas como ele consegue?

Caso ele tenha seus custos mais bem organizados, ele identificou que mudando para um prédio com aluguel R$ 200,00 mais barato por mês faz com que ele mantenha seu lucro e melhore seu preço de venda.

Qual a Fórmula Pronta para Calcular?

Se você é empreendedor não deveria fazer essa pergunta, pois já deve saber que para quase nada terá uma fórmula pronta e exata para você. O que você precisa é conhecer melhor seu próprio negócio.

Portanto, ao invés de procurar fórmulas mágicas, organize seus custos, faça levantamentos detalhados e classifique-os.

Quando dizemos detalhados, são detalhados mesmo, como por exemplo o desgaste de pneus de cada veiculo por km rodado, ok?

Conhecendo seus custos, classifique-os em quais são diretos e quais são indiretos, você estará bem próximo de enxergar o preço de venda ideal.

Caso o preço necessário esteja acima do mercado, volte e reveja os custos que são passíveis de negociação, aluguel, taxa de entrega, fornecedores, etc.

Nosso objetivo com esse artigo, é que a cultura de organizar os custos e buscar diariamente a melhoria e acompanhamento dos resultados, seja levada para todos.

Caso você tenha uma empresa e tenha dificuldades de realizar esse calculo, a OSA Contabilidade pode te ajudar, juntamente com a Fatorizze Soluções Financeiras, ofertamos serviços na área financeira contábil, visando a solução para o dia a dia da sua empresa.

Despesas Fixas e Variáveis: Saiba como Diferenciar

Despesas Fixas e Variáveis: Saiba como Diferenciar

Toda empresa nasce pensando em quanto irá ganhar, certo?

Pode ser uma “conta de guardanapo”, onde o custos da empresa são maiores do que os recebimentos e pronto!

Mas surpresas acontecem logo de cara e os custos mudam, fazendo com que o sonho seja mais complicado, talvez isso ocorra porque você não diferenciou suas despesas fixas de suas despesas variáveis.

Despesas Fixas

Melhorando um pouco a conta feita no guardanapo, vamos dividir os custos iniciais, as Despesas Fixas são aquelas que irão vencer todo mês mesmo que você não produza nada, atenda nenhum cliente ou venda algo, nada, zero, o mês todo vendo as moscas, as Despesas Fixas estarão lá.

Entram nessa conta por exemplo, Aluguel, Telefone, Internet, Luz, Funcionários e tudo o mais que seja essencial para a empresa ao menos existir.

Esses valores devem ser a base para iniciar o cálculo, pois ao menos eles devem sempre estarem cobertos ou devemos falar em falência.

Para facilitar, vamos pensar nas Despesas Fixas como os valores que se repetem mensalmente. Nessa etapa é importante lembrar de todos (até daquela parcela de empréstimo do banco para investimento inicial, lembra?).

Despesas Variáveis

São todas as despesas diretamente relacionadas a produção. Simples assim. Ou quase.

Quando falamos “relacionadas a produção”, logo imaginamos uma fabrica e a matéria prima de seu produto, é a maneira mais fácil de exemplificarmos, porém nem todos são fabricantes de produtos.

Como relacionar essas despesas em outros setores?

Independente do setor, sua empresa oferta um tipo de produto ou serviço, devemos é definir quais custos cada um deles geram diretamente.

Por exemplo, se você tem uma loja de roupas seus custos variáveis podem estar ligados diretamente a estoque, emissão de notas fiscais, comissão de vendedores, divulgação na rádio ou rede social, tudo o que você somente terá que gastar quando vender o produto.

Se o seu caso for a prestação de serviço, a conta pode ficar um pouco mais complicada.

Se por exemplo tiver locomoção para atendimento, os gastos de combustível e desgaste do veículo deve ser considerado um custo variável.

Porque dividir as Despesas?

Conhecer suas despesas irá fazer com que seu planejamento seja mais ajustado e realista, evitando surpresas e más decisões.

Muitas empresas vivem procurando como “Cortar Despesas”, porém não conhecem nem mesmo as despesas que são passíveis de cortes e quais são essenciais.

Outra importância de conhecer suas despesas, está no momento de precificar seu produto ou serviço.

Existem empresas com grandes faturamentos, porém com despesas tão desorganizadas, que o faturamento mascara uma já eminente falência.

Como ter um Controle de Despesas Eficiente?

Mesmo depois de fazer o levantamento inicial, dividindo corretamente Despesas Fixas e Despesas Variáveis, é necessário um acompanhamento constante das mesmas, pois elas mudam e influenciam diretamente o resultado da sua empresa.

Hoje em dia existem diversos softwares que facilitam esse acompanhamento, fazendo com que fique claro os pontos positivos e negativos de seus custos.

Porém devem ser considerados não somente os números, mas também as oportunidades, que podem gerar redução de custos (até mesmo os Fixos, que são mais complexos de se reduzirem), para isso é interessante ter um departamento da sua empresa responsável por isso.

Caso sua empresa não tenha esse departamento, nós da OSA Contabilidade oferecemos esse serviço de Controle de Despesas, através da parceria com a Fatorizze Gestão Financeira.

Entre em contato e conheça mais em como podemos ajudar com soluções para o dia a dia da sua empresa.