Você Sabe Calcular o Preço de Venda do seu Produto?

Você Sabe Calcular o Preço de Venda do seu Produto?

Com certeza todo empreendedor começa seu negócio fazendo contas, muita e muitas contas (só quem vive isso sabe como é difícil…), porém, um grande problema é quando essas contas nem sempre são feitas de forma correta. Por exemplo, você sabe calcular o preço de venda do seu produto, corretamente?

Pode parecer uma pergunta besta, mas esse cálculo errado é muito comum de ser feito, pois muitas vezes simplificamos demais a conta e os detalhes um dia irão se somar e não serão mais apenas detalhes.

Vimos em outro artigo as diferenças entre custos fixo e variáveis, se você não viu leia aqui pois será importante para realizar o seu cálculo, afinal muitos empreendedores calculam o seu preço de venda em cima apenas das despesas e do lucro.

Por exemplo: Meu custo para produção do meu produto é de R$ 10,00 e quero um lucro de R$ 4,00 por venda, então é só vender a R$ 14,00, fácil fácil.

E o que tem de errado com isso? Na realidade, errado não está, o problema pode estar em como você calculou os R$ 10,00 de custo, será que esse valor é correto?

Custo e Rateio

Quando falamos de fabricação ou venda de produtos físicos é mais fácil encontrar os custos, devemos levantar os valores de matéria prima, mão de obra ou aquisição do produto.

Quando falamos de serviços, devemos também levar em consideração a mão de obra, porém aqui podemos entrar no campo do valor intelectual, talvez um valor intelectual seja um custo mais alto, porém gera um produtividade maior (mas isso fica para outro dia).

Mas o maior ponto aqui é chegarmos nos custos diretos do produto/serviço, para depois disso entramos na área do Rateio, sabe o que é isso?

Ratear despesas é dividir todos e qualquer despesas, seja diretamente ligada a produção ou não, para cada unidade produzida.

Vamos supor que sua loja de roupas venda 1000 unidades por mês, e o seu aluguel seja exatamente R$ 1000,00, nesse caso além do custo por aquisição de cada roupa, você deve também embutir R$ 1,00 a mais nesse custo.

E assim devemos fazer com todos os custos fixos, rateando por produtos ou serviços ofertados, o que talvez faça aquela cena inicial mudar um pouco.

Mas você pode se perguntar: Para que fazer isso?

Ter o seu custo rateado e preciso é importante para se posicionar no mercado, conhecer sua empresa e mante-la saudável.

Vamos a um exemplo simples: Sua loja vende os produtos a R$ 14,00 (seu custo e seu lucro estão garantidos), porém seu concorrente vende o mesmo produto a R$ 12,00, o que pode te tirar vendas, mas como ele consegue?

Caso ele tenha seus custos mais bem organizados, ele identificou que mudando para um prédio com aluguel R$ 200,00 mais barato por mês faz com que ele mantenha seu lucro e melhore seu preço de venda.

Qual a Fórmula Pronta para Calcular?

Se você é empreendedor não deveria fazer essa pergunta, pois já deve saber que para quase nada terá uma fórmula pronta e exata para você. O que você precisa é conhecer melhor seu próprio negócio.

Portanto, ao invés de procurar fórmulas mágicas, organize seus custos, faça levantamentos detalhados e classifique-os.

Quando dizemos detalhados, são detalhados mesmo, como por exemplo o desgaste de pneus de cada veiculo por km rodado, ok?

Conhecendo seus custos, classifique-os em quais são diretos e quais são indiretos, você estará bem próximo de enxergar o preço de venda ideal.

Caso o preço necessário esteja acima do mercado, volte e reveja os custos que são passíveis de negociação, aluguel, taxa de entrega, fornecedores, etc.

Nosso objetivo com esse artigo, é que a cultura de organizar os custos e buscar diariamente a melhoria e acompanhamento dos resultados, seja levada para todos.

Caso você tenha uma empresa e tenha dificuldades de realizar esse calculo, a OSA Contabilidade pode te ajudar, juntamente com a Fatorizze Soluções Financeiras, ofertamos serviços na área financeira contábil, visando a solução para o dia a dia da sua empresa.

Fluxo de Caixa é Necessário?

Fluxo de Caixa é Necessário?

Se você tem uma empresa com certeza já ouviu falar no tal fluxo de caixa, até mesmo se você for funcionário, pode ser familiarizado com o termo. Porém você sabe o que é e como fazer um fluxo de caixa?

Para começarmos temos que diferenciar Fluxo de Caixa de Mensurar Resultados, basicamente o que diferencia os dois são os detalhes e a disciplina.

Se a sua empresa lança as despesas e as receitas, você está no caminho correto para ter um Fluxo de Caixa, afinal, ele nada mais é do que o registro dessa movimentação (Entrada e Saída).

Porém, a sua empresa lança essa movimentação de forma a apenas conferir se no mês você teve lucro ou não, você não está realizando um bom fluxo de caixa, pois faltam os detalhes, que levarão ao planejamento futuro de sua empresa.

O que eu Preciso para fazer meu Fluxo de Caixa?

Disciplina e detalhamento. Simplesmente isso. Muita gente acredita que precisa ter um software sofisticado ou nunca terá um Fluxo correto, e isso não é verdade, basta uma planilha de excel e pronto.

O que irá fazer com que o seu Fluxo seja eficiente, é o nível de detalhe que empregará em cada despesa e receita, como por exemplo a data de vencimento, a forma de pagamento, a categoria da despesa, o fornecedor e por ai vai. Quanto mais detalhes melhor.

E isso requer muita disciplina, pois não podemos esquecer de obter todas as informações para lançá-las, nada de deixar para depois ou criar uma categoria “Outros” para tudo o que lhe der preguiça de categorizar.

Pra que serve o Fluxo de Caixa?

Um bom Fluxo de Caixa irá possibilitar uma análise mais precisa e eficiente da sua empresa, sabendo por exemplo o faturamento previsto, os dias com maior índice de despesas, verificar aumento de despesas na mesma categoria, até mesmo analisar possibilidade de investimentos ou futuros saldos negativos.

Muitas empresas com alto giro de entrada, muitas vezes acabam se enganando quando ocorrem de um mês com baixas despesas, quando não tem um Fluxo de Caixa bem feito.

Pois as despesas naquele mês foram baixas e deram uma falsa ideia de alto lucro, porém nos meses seguintes elas voltam a crescer e se o faturamento não se manter, aparecem os saldos negativos.

Isso seria evitado a empresa já soubesse de suas movimentações pelos próximos meses, e se precavesse dessa alta de despesas.

Solicite Ajuda, o Importante é Melhorar

Não tenha vergonha de não saber montar um bom Fluxo de Caixa, isso é mais normal do que você pode pensa, grandes empresas ainda tem suas dificuldades.

Para auxiliar você nessa questão, nós da OSA Contabilidade, através de nossa parceria com a Fatorizze Soluções Financeiras, disponibilizamos profissionais capacitados para organizar a vida financeira da sua empresa e com isso encontrar a solução para o dia a dia da sua empresa.

Despesas Fixas e Variáveis: Saiba como Diferenciar

Despesas Fixas e Variáveis: Saiba como Diferenciar

Toda empresa nasce pensando em quanto irá ganhar, certo?

Pode ser uma “conta de guardanapo”, onde o custos da empresa são maiores do que os recebimentos e pronto!

Mas surpresas acontecem logo de cara e os custos mudam, fazendo com que o sonho seja mais complicado, talvez isso ocorra porque você não diferenciou suas despesas fixas de suas despesas variáveis.

Despesas Fixas

Melhorando um pouco a conta feita no guardanapo, vamos dividir os custos iniciais, as Despesas Fixas são aquelas que irão vencer todo mês mesmo que você não produza nada, atenda nenhum cliente ou venda algo, nada, zero, o mês todo vendo as moscas, as Despesas Fixas estarão lá.

Entram nessa conta por exemplo, Aluguel, Telefone, Internet, Luz, Funcionários e tudo o mais que seja essencial para a empresa ao menos existir.

Esses valores devem ser a base para iniciar o cálculo, pois ao menos eles devem sempre estarem cobertos ou devemos falar em falência.

Para facilitar, vamos pensar nas Despesas Fixas como os valores que se repetem mensalmente. Nessa etapa é importante lembrar de todos (até daquela parcela de empréstimo do banco para investimento inicial, lembra?).

Despesas Variáveis

São todas as despesas diretamente relacionadas a produção. Simples assim. Ou quase.

Quando falamos “relacionadas a produção”, logo imaginamos uma fabrica e a matéria prima de seu produto, é a maneira mais fácil de exemplificarmos, porém nem todos são fabricantes de produtos.

Como relacionar essas despesas em outros setores?

Independente do setor, sua empresa oferta um tipo de produto ou serviço, devemos é definir quais custos cada um deles geram diretamente.

Por exemplo, se você tem uma loja de roupas seus custos variáveis podem estar ligados diretamente a estoque, emissão de notas fiscais, comissão de vendedores, divulgação na rádio ou rede social, tudo o que você somente terá que gastar quando vender o produto.

Se o seu caso for a prestação de serviço, a conta pode ficar um pouco mais complicada.

Se por exemplo tiver locomoção para atendimento, os gastos de combustível e desgaste do veículo deve ser considerado um custo variável.

Porque dividir as Despesas?

Conhecer suas despesas irá fazer com que seu planejamento seja mais ajustado e realista, evitando surpresas e más decisões.

Muitas empresas vivem procurando como “Cortar Despesas”, porém não conhecem nem mesmo as despesas que são passíveis de cortes e quais são essenciais.

Outra importância de conhecer suas despesas, está no momento de precificar seu produto ou serviço.

Existem empresas com grandes faturamentos, porém com despesas tão desorganizadas, que o faturamento mascara uma já eminente falência.

Como ter um Controle de Despesas Eficiente?

Mesmo depois de fazer o levantamento inicial, dividindo corretamente Despesas Fixas e Despesas Variáveis, é necessário um acompanhamento constante das mesmas, pois elas mudam e influenciam diretamente o resultado da sua empresa.

Hoje em dia existem diversos softwares que facilitam esse acompanhamento, fazendo com que fique claro os pontos positivos e negativos de seus custos.

Porém devem ser considerados não somente os números, mas também as oportunidades, que podem gerar redução de custos (até mesmo os Fixos, que são mais complexos de se reduzirem), para isso é interessante ter um departamento da sua empresa responsável por isso.

Caso sua empresa não tenha esse departamento, nós da OSA Contabilidade oferecemos esse serviço de Controle de Despesas, através da parceria com a Fatorizze Gestão Financeira.

Entre em contato e conheça mais em como podemos ajudar com soluções para o dia a dia da sua empresa.

5 Dicas para Organizar os Documentos em sua Empresa

5 Dicas para Organizar os Documentos em sua Empresa

No início parece um assunto pouco importante, afinal qual a importância de uma boa gestão de documentos?

Pense com a gente, quanto mais a sua empresa cresce, aumentam o numero de contratos, de notas, de documentos importantes… pois é, uma hora pode se tornar uma dor de cabeça.

Vamos as dicas :

1. Busque Inovações

Pode parecer meio clichê, ou até bobo dizer isso, porém antes de qualquer serviço ou equipamento que seu empresa queira adquirir para resolver essa questão, a empresa deve partir do princípio de entender essa necessidade e buscar constantemente adaptação.

Afinal, a solução encontrada hoje, pode não servir para o próximo semestre, por isso a inovação e adaptação devem ser constantes.

Caso pense que seja desnecessário gerenciar corretamente seus documentos, ou que vai encontrar uma solução definitiva para isso. É melhor nem continuar para os próximos passos.

2. Digitalização dos Documentos

Tudo começa pela utilização da tecnologia no dia a dia, quanto menos documentos existentes somente no físico, menor as chances de se perderem para sempre.

Portanto comece por digitalizar todos os documentos da sua empresa, de forma simples ou contratando uma empresa para gerenciar essa armazenagem.

Dessa forma, todos os documentos terão um “backup” e poderão ser encontrados ou recuperados, com facilidade.

3. Armazenamento em Nuvem

Pois é, nem mesmo o digital é 100% garantido, por isso aposte em armazenamentos digitais em nuvem.

Muitos podem não tanta familiaridade com esse serviço, porém, a segurança e confiabilidade das “cloud’s” hoje em dia são gigantes.

O serviço se baseia basicamente em armazenar todos os seus arquivos digitais, em um lugar fora do seu computador. Esse lugar seria a nuvem de informações, gerenciadas por empresas com potentes computadores e grandes redes de segurança online.

Com seus documentos online, além de segurança e mais espaço, você também pode acessá-los em qualquer lugar, sendo no computador, notebook ou celular.

4. Assinatura Digital

Assinatura digital é legalmente aceita no Brasil desde 2001, ela é prática e simples, além de evitar acúmulo de papéis também agiliza o processo, pois evita a necessidade de envio de documentos físicos por correios ou outros meios.

Essa ferramenta funciona mais ou menos como os termos de “Li e Concordo”, utilizados por aplicativos mobiles, ao selecionar aquela opção você está “assinando” o equivalente ao contrato com o aplicativo.

Portanto as assinaturas digitais tanto tem validade jurídica, como por isso são utilizadas por gigantes da tecnologia.

5. Fluxo de Trabalho

Mindset de Inovação implantado, documentos digitalizados, armazenamento em cloud’s e assinaturas digitais em funcionamento, o que falta agora?

Falta manter e fazer com que todo esse investimento e mudança continue sendo efetivo, seja de fato prático e útil.

Essas dicas que listamos mudarão completamente o fluxo e organização do ambiente de trabalho, para melhor.

Porém é necessário reorganizar as funções para que nada seja deixado de lado ou esquecido, para que tudo se torne mais fácil e rápido. É necessária muita atenção, pois documentos digitais requerem maiores cuidados de segurança.

Por exemplo, se você é responsável por digitalizar e enviar os documentos para a nuvem, não pode navegar ou instalar algo neste computador, que não seja de fonte confiável.

Proteção contra malwares sempre deve estar em primeiro lugar, mantenha antivírus e softwares atualizados.

Podemos te Auxiliar com essa Nova Etapa

A OSA Contabilidade oferece soluções para o dia a dia da sua empresa, até mesmo fora da área contábil.

Nossa parceria com a Fatorizze Gestão Financeira, possibilita ofertarmos o serviço de Gestão Documental para a sua empresa.

Entre em contato conosco, pois garantimos, a OSA Contabilidade tem a solução para o dia a dia da sua empresa!

A Importância de uma Boa Gestão de Estoque

A Importância de uma Boa Gestão de Estoque

Algumas vezes deixamos de dar atenção para algumas tarefas dentro da empresa, as vezes por executarmos no modo “automático”, por não sabermos como fazer ou até mesmo não sabermos a real importância dela.

Esse é o caso da Gestão de Estoque, se você quer resultados, atente-se a ela.

A Gestão de Estoque é muito mais do que repor materiais, ter produtos para venda ou consumo o suficiente ou algo do tipo, se o Financeiro for considerado o “pulmão” da empresa e a Administração o “coração”, podemos considerar a Gestão de Estoque como a “pressão arterial”, pois é de extrema importância que não esteja nem alta e nem baixa.

Ou irá ruir os demais setores.

Conhecendo o estoque

É de suma importância que o estoque da sua empresa seja muito bem organizado, pois conhecendo ele você irá conhecer o fluxo de trabalho da sua empresa.

Através dele poderá identificar sazonalidades, desperdícios e aumento ou declínio de vendas.

Independente de qual setor sua empresa atue, identifique estratégias para diminuir custos, são inúmeras as alternativas, desde estoques grandes para aumentar seu poder de compra, até mesmo estoque zero no formato “Just in Time”.

O mais aconselhável é que exista uma pessoa somente para essa função, que se dedique e seja especialista nela, pois requer atenção a detalhes e oportunidades de mercado.

Como Realizar uma boa Gestão de Estoque?

O principal é conhecer a sua empresa, quais os materiais mais importantes ou de maior consumo.

Após você deve conhecer os fornecedores desses produtos, quais as condições de pagamento e entrega, quais as variáveis poderão ser aplicadas.

Identificando esses fatores, você deverá organizar sua empresa de acordo com a produção, por exemplo, um determinado material base para a produção de um determinado produto, não pode ser comprado ou utilizado na mesma quantidade em meses de alta e baixa venda/produção.

Materiais de menor uso não devem aparecer em grandes quantidades, não é porque “pode ser que” precise, que devo ter.

Estoque é dinheiro, e dinheiro deve fazer mais dinheiro, parado na empresa ele não serve de nada.

Atente-se a validade de produtos, muitas vezes nos deparamos com oportunidades de preços de mercado que podem parecer atraentes, porém se o giro de saída não for tão alto e a validade do produto for curta, você pode dar um “tiro no pé”.

Gestão de Estoque Facilitada

Nós sabemos que essa gestão é um tanto complexa, que são inúmeras variáveis a serem analisadas e muitas vezes se torna impossível manter esse controle, afinal, você empresário tem o dia cada vez mais cheio de tarefas.

Mas não se preocupe, a OSA Contabilidade tem a solução para o dia a dia da sua empresa, e neste caso nossa parceria com a Fatorizze Gestão Financeira irá te ajudar.

A Fatorizze oferece o serviço de Gestão de Estoque, onde todos esses dados sobre seu estoque serão levantados e analisados periodicamente, fazendo assim com que a sua empresa esteja sobre o seu controle e você empresário tenha tempo para gerir sua empresa rumo ao crescimento.

Entre em contato e saiba mais, nós temos a solução para a sua empresa.

Dinheiro no Banco: Devo Declarar Imposto de Renda?

Dinheiro no Banco: Devo Declarar Imposto de Renda?

Ao se aproximar do período de declaração de imposto de renda, muitas dúvidas começam a surgir. Se o ditado diz que “De médico e louco, todo mundo tem um pouco”, diríamos que nessa época pode se incluir Contador também.

Mas cuidado, não caia na “conversa” de quem não é especialista no assunto, pois, existem muitas regras, mudanças e detalhes a serem levados em consideração na hora da declaração. Por exemplo, aquele seu investimento guardado no banco, quietinho, para alguma emergência.

Sabia que você pode cair na malha fina por causa dele?

Sabe o que é E-Financeira?

Este sistema, talvez não muito conhecido, foi criado para que as informações bancárias sejam apresentadas a Receita Federal, desta forma, todo o seu patrimônio assim como movimentação anual será apresentada a Receita.

Ou seja, se a sua declaração não conter aquele investimento que está rendendo em seu banco, o banco será obrigado a informa-lo, assim cruzando as informações e necessitando de cuidado redobrado na hora da sua declaração.

Um ponto a ser citado, é que os bancos informarão suas operações todo dia 31 de Dezembro de cada ano, portanto os dados devem bater com referencia ao ano anterior a declaração. Investimentos realizados no mesmo ano vigente a declaração, poderão entrar somente no ano seguinte.

Como Saber se Devo Declarar?

É necessário que procure o seu contador, informe toda e qualquer movimentação e aplicação realizada, para que ele analise seus dados e esclareça quais medidas devem ser adotadas.

A OSA Contabilidade, está constante se adequando e se atualizando em todos os setores fiscais e tributários, para oferecer sempre as informações mais precisas e que irão realmente ajudar você e sua empresa.

Se você já é cliente da OSA Contabilidade, estamos prontos para ajudar você a todo momento, seja tirando dúvidas ou resolvendo os problemas do dia a dia da sua empresa.

Se ainda não é cliente, saiba que é fácil migrar a sua empresa para a nossa assessoria, aqui no site temos uma plataforma destinada a este tipo de atividade. Venha para a OSA Contabilidade, teremos prazer em te ajudar!